A realidade é tão real quanto observar um fractal por um caleidoscópio.

O que é Magia?

Olá pessoal, hoje venho com o texto que estou prometendo a séculos para vocês. Espero que seja de valia e que possam aprender um pouco mais com ele. Estou aqui para servir. ^^

Papus define a Magia como “a ação consciente da vontade sobre a vida”. No sentido de que a vontade a que ele se refere é a do nosso Cristo Interior. O nosso Eu Superior, ou simplesmente Ego (com “E” maiúsculo mesmo.). E vida para ele seria a força/energia vital. Vamos analisar o porquê. Bom, a Magia é a ciência de utilizar leis superiores do Cosmo sobre as leis inferiores para realizar certos atos. Atentem para o fato de que eu não falei que vocês soltariam lasers pelos olhos e relâmpagos pelo traseiro usando “forças desconhecidas” ou “milagres”. Não acredito em milagres no sentido que colocam, que é o de “enganar a Natureza” para fazer coisas espantosas. Este tipo de coisa não existe na Magia. Como diria um grande membro da Rosacruz, Isaac Newton, “nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Para que você ligue o seu PC para ler este artigo, você teoricamente deveria tê-lo ligado numa corrente elétrica, que estaria entrelaçada em uma rede de fios de alta tensão que vem de uma estação de energia elétrica. Da mesma forma funciona a magia. Para que sua vontade (estação elétrica) se realize, é preciso que tenha um veículo para ela (energia elétrica) que tenha um meio condutor (fios elétricos) que faça com que seu desejo (ler o texto [eu espero…]) se realize. Difícil?

Voltemos ao Papus então: “Uma carruagem, um cavalo, um cocheiro, eis toda a filosofia, eis toda a magia. …Se o ser inteligente, o cocheiro, quisesse pôr em movimento seu fiacre sem o cavalo, o carro não andaria. …[Entretanto] muitos supõem que magia é a arte de fazer mover fiacres sem cavalos ou, traduzindo emlinguagem um pouco mais elevada, de agir sobre a matéria pela vontade e sem intermediários de espéciealguma. … Observastes que o cavalo é mais forte que o cocheiro e que, por meio das rédeas, o cocheirodomina a força bruta do animal que ele conduz? O cocheiro representa a inteligência e, sobretudo, aVONTADE, o que governa todo o sistema … A carruagem representa a matéria, o que é inerte … O cavalo representa a força.

Obedecendo ao cocheiro e atuando sobre a carruagem, o cavalo move todo o sistema. [O Cavalo] é oprincípio motor … elo intermediário entre a carruagem e o cocheiro, elo que prende o que suporta (matéria) ao que governa (pensamento, inteligência). [Em outras palavras] … O cocheiro é a VONTADE HUMANA , o cavalo é a VIDA (FORÇA VITAL)… sem a qual o cocheiro não pode agir sobre acarruagem. (…)

Sendo prática, a magia é uma ciência de aplicação. Mas, o quê o operador vai aplicar? SUA VONTADE …o princípio diretor, o cocheiro do sistema. Perguntamos ainda: em quê, em qual objeto será aplicada estaVONTADE? Na MATÉRIA? Nunca! Seria como um cocheiro agitando-se na boléia da carruagemenquanto o cavalo ainda está na estrebaria! Um cocheiro AGE SOBRE um cavalo, não sobre acarruagem. … Um dos grandes méritos da ciência oculta é justamente ter fixado este ponto: que o espíritonão pode agir sobre a matéria diretamente; o espírito age sobre um AGENTE INTERMEDIÁRIO, o qual,por sua vez, reage (repercute) sobre a matéria. O operador deverá, pois, aplicar sua VONTADE não diretamente na matéria, porém naquilo que modifica a matéria incessantemente, [seu mediador plástico]que, a ciência oculta chama PLANO ASTRAL ou PLANO DE FORMAÇÃO DO MUNDO MATERIAL.” Papus – Tratado Elementar de Magia Prática.
A Magia além disso é o caminho reto. Através dela e do domínio das forças ao nosso dispor, podemos retornar ao nosso lugar primordial, em uma condição melhor. Como assim?
Nós, em nossa jornada de evolução, já passamos por períodos de aprendizado onde tínhamos experiências equivalentes aos minerais, vegetais e animais. Antes disso éramos como anjos (a concepção renascentista). Poderosos, puros, porém inocentes. A descida na matéria se fez necessária para que tivéssemos a noção de individualidade para agora, como humanos, possamos através do conhecimento destas forças e nossas capacidades, nos despir de nosso ego (com “e” minúsculo) e assimilar o que tem de melhor dos nossos veículos para voltarmos ao patamar de antes com a vantagem da experiência individual. A Magia dá este raio de ação pois além de nos melhorar como indivíduos (alquimia interior), também nos faz conhecer, controlar e se familiarizar com as leis superiores e utilizá-las.
O meio de se obter a chave do Templo é conhecer a si mesmo, aplicar as leis na prática e conhecer o caminho a percorrer.
Eu recomendo a todos que leiam o Programa Agartha inteiro. Se possível leiam também O Caminho do Verdadeiro Adepto (outro nome: Iniciação ao Hermetismo) do Franz Bardon. Tratado Elementar de Magia Prática do Papus e muitos, mas muitos livros sobre magia, ocultismo, esoterismo, religião, mitologia, psicologia, filosofia, e tarará… É muita coisa. Com o tempo se acostuma.
Qualquer dúviva, estamos aí.

 

 

Anúncios

14 Respostas

  1. Faber

    Da uma olhada Aqui

    09/08/2011 às 08:05

  2. Bruno Mais

    E envigorar no Saber, Querer, Ousar e Calar para dominar o dragão !

    Excelente texto !
    [ ]’s

    10/08/2011 às 07:42

  3. Pingback: Links Mayhem – 18/08/2011 « Hermetic Rose

  4. Pingback: Links Mayhem 18/08/2011 « Universo Paralelo

  5. Pingback: Links Mayhem 18/08/2011 - Labirinto da Mente

  6. Pingback: Links Mayhem 18/08 « Jedi Teraphim

  7. Pingback: Links Mayhem 18/08/11 « Teoria da Conspiração

  8. Pingback: Links da Semana | Idéia Biruta

  9. Pingback: Links Mayhem 19/08/11 | Teoria da Conspiração

  10. Pingback: Links Mayhem – 21/08 « Autoconhecimento & Liberdade

  11. Pingback: A Espécie Fabuladora « Jedi Teraphim

  12. Sander

    Muito bom o texto e o site… só uma pequenina correção: A frase “nada se perde, nada se cria, tudo se transforma” é de Lavousier, cientista considerado “pai” da química moderna, não de Newton. Bem, não muda muita coisa no sentido que quis usar, pois pelo que sei, Lavousier era maçom e a maioria dos maçons da época, diferente da maioria dos de hoje, não era ateus, no sentido comum da palavra, mas ocultistas…

    09/09/2011 às 21:13

    • Obrigado! Fica o comentário pro pessoal ter como referência. ^^

      21/09/2011 às 12:54

  13. Pingback: Links Mayhem (27) » O Alvorecer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s